Simulador da Mudança – The Change Simulation

A necessidade de gestão da mudança é a única certeza que temos no contexto atual dos negócios. Tudo muda e às vezes tão rapidamente que a equipe tem que ter uma enorme capacidade de ajuste, para continuar atendendo à demanda dos clientes. Qual a postura que pretende que seus colaboradores apresentem? Eles podem apenas reagir às mudanças, ou, o que é bem mais eficaz, serem proativos, antecipando necessidades e propondo melhorias que se adequem a esses novos desafios.

O Simulador de Gestão da Mudança é adequado para desenvolver as seguintes competências:

  • – Conseguir que toda a empresa tenha uma orientação total para o cliente, para as suas necessidades e para a sua satisfação, e se reinvente internamente para atingir esse objetivo
  • – Melhorar a qualidade da comunicação entre clientes internos, por forma a evitar conflitos e/ou mal-entendidos;
  • – Favorecer a adoção de um novo paradigma face à mudança – oportunidade ou ameaça? Depende essencialmente da atitude de cada um, a qual, por sua vez, condiciona os resultados;
  • – Consolidar uma atitude pró-ativa e de orientação para a solução (por oposição ao foco no problema);
  • – Desenvolver as condições para a adoção de uma postura crítica construtiva perante a sua realidade – ‘Sempre fiz assim – será que posso fazer melhor? (ou até deixar de fazer?)’;
  • – Fornecer uma compreensão do verdadeiro papel de cada um na equipe e na empresa e da forma como este interage com os restantes papéis desempenhados pelos pares ou superiores hierárquicos;
  • – Promover uma postura positiva perante a mudança e contribuir para que cada colaborador seja um agente ativo no processo (ao invés de espectador passivo).

Departamentos

Como é implementado o treinamento:

Os participantes são divididos em equipes de 10 a 16 pessoas, em competição com outras equipes (no mínimo são necessárias 2 equipes). Dentro de cada equipe, eles são divididos em 4 funções: Produção, Comercial, P&D e Administrativos.

Cada equipe representa uma empresa, que produz cartões de felicitação (a nossa metáfora no treinamento), e está em competição com as outras equipes para conseguir os melhores resultados possíveis (lucro e satisfação do cliente).

Em sala existem 3 tipos de clientes: o cliente generalista, o cliente especializado e o cliente diferenciado – é para eles que os comerciais terão que vender os seus cartões de felicitação. Para além disso, existe um Fornecedor, a quem os administrativos compram as matérias-primas para as suas áreas de Produção e P&D. O Facilitador da ProPeople, representa o CEO.

Como ponto de partida, a empresa que estão gerindo tem métodos de produção ineficientes, trabalha no limite da capacidade instalada, é muito rígida administrativamente, com excesso de tarefas de baixo valor agregado, e não está orientada para o cliente (desconhecimento / desatenção das reais necessidades e expectativas dos clientes).

O desafio é conseguir melhorar os resultados financeiros da empresa e ao mesmo tempo aumentar a satisfação do cliente.

Para isso, as equipes terão que:

  • – Ter uma análise crítica de todo o fluxo de processos da empresa
  • – Escutar o cliente (interno e externo)
  • – Fazer benchmarking com outras equipes
  • – Questionar e dispor-se a mudar
  • – Gerir de forma eficaz o processo de mudança

São simulados vários ciclos, e em cada um deles existe um tempo para análise do passado (revisão & feedback), apresentação de resultados e de novas ideias para implementação e para planejamento do futuro.
No fim do programa, para consolidar a transposição do que aprenderam para o seu dia-a-dia, os participantes apresentam o resumo dos pontos de aprendizagem e um conjunto de sugestões de mudança, que acreditam ser pertinentes implementar na empresa.
Estas ideias são objeto de um relatório, que é entregue à empresa, com o objetivo de permitir o acompanhamento dos planos (os que só dependem da vontade dos participantes) e/ou facilitar uma análise cuidada da viabilidade das propostas para implementação futura (no caso em que a implementação depende da decisão de outros).
As propostas finais podem ser sujeitas a um tema previamente definido, por se adequar aos objetivos que se pretendem atingir – por exemplo, “Soluções para aumentar a satisfação dos clientes da empresa.”, ou “Propostas para melhorar a comunicação entre departamentos (ou no departamento / equipe X)”, etc.

 

Assista ao vídeo de um programa Simulador de Mudança – The Change Simulation (2 dias):

* implementado na Acton School of Business (EUA)

Excelente!! Fica até difícil precisar quais os tópicos aprendidos, pois são muitos. Melhor compreensão de processos em uma equipe e como atingir um objetivo comum. Tente implementar mudanças em um ambiente de grandes desafios e as frustrações invariavelmente surgirão.

Participante TCS – Nestlé

 

Funções dos participantes:

Equipe de Produção


– Produzir os cartões de felicitação (que vão variando ao longo dos ciclos)

Equipe de P&D


– Desenhar os protótipos dos cartões (idealmente seguindo as especificações da equipe de Mkt e Vendas)
– Produzir amostras
– Determinar as encomendas de materiais
– Determinar métodos de produção
– Elaborar ‘manual de produção’

Equipe Comercial


– Interpretar os estudos de mercado (que têm que decidir comprar)
– Estabelecer preços
– Realizar as vendas
– Realizar entregas
– Gerir reclamações

Equipe Administrativa


– Compras
– Relatórios financeiros
– Controle de qualidade
– Relatórios de vendas
– Relatórios de desperdícios